março 04, 2005

Recursos humanos, demasiado humanos

Se Nelson Rodrigues estivesse na ativa, trocaria a figura do contínuo por sua correspondente contemporânea — a gerente de RH. Para quem nunca identificou uma dessas infelizes, uma dica do farsante ausente: é aquela que acha o Jô Soares “uma pessoa muito inteligente” e que deixaria numa ilha deserta “todas as maldades do mundo.”

Sem dúvida, esse perfil produz um desprezo muito grande por quem se acha mais bacana e esperto. O problema é que, mais cedo ou mais tarde, uma gerente de RH entra na sua vida. E aí, na hora de escolher entre você e um outro candidato, ela diz à outra gerente: “Achei esse rapaz muito sério; o outro tem um astral pra cima, sabe.”

Pior ainda é saber que se trata de problema insolúvel, pois que situado num belo círculo vicioso. Quem escolhe as gerentes de RH são as próprias gerentes de RH.

6 Comments:

Blogger Márcio said...

Pra isso que serve o concurso público: fugir das gerentes de RH...

7:13 PM  
Blogger Manoela Assayag said...

Esqueceu de falar que gerentes de RH gostam de livros de auto-ajuda. Isso sim é motivo para eu fugir delas.

8:24 PM  
Anonymous marco said...

Descobrimos um ponto positivo a respeito do concurso público então?
Geez, hope not.

11:49 AM  
Blogger Márcio said...

I guess you did...
ALiás, a vida sem gerentes de RH e sem chefe é muito melhor... :)

2:04 PM  
Blogger Ismael said...

Faça um sobre os contadores, Bruno. Os contadores, os contadores!

4:28 PM  
Anonymous Pedro Doria said...

Uma vez, enquanto ia sendo demitido dum grande jornal carioca, a gerente de RH aproveitou-se do ensejo para me dar de presente um livro sobre pára quedas, cores e dicas de mudança de carreira.

Acho que nunca senti um ódio tão sincero na vida...

5:08 PM  

Postar um comentário

<< Home